PALAVRA DE PASTOR


Ascensão Do Senhor

Testemunhas do Senhor

12/05/2013

Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília

Na solenidade da Ascensão do Senhor, celebramos o mistério da fé que professamos ao rezar o Creio: “Jesus subiu aos Céus, está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso”. A propósito, afirma o Catecismo da Igreja Católica: “Jesus Cristo, Cabeça da Igreja, nos precede no Reino glorioso do Pai para que nós, membros de seu Corpo, vivamos na esperança de estarmos um dia eternamente com Ele”. Por isso, a nossa atitude, ao celebrar a Ascensão do Senhor, deve ser de louvor e esperança.
Nesta solenidade, voltamos o nosso olhar para o céu, nossa morada definitiva, com a esperança que nos vem de Cristo Ressuscitado. Ao mesmo tempo, somos chamados a olhar para o presente, com senso de responsabilidade pela vida e o mundo.  No relato da Ascensão, conforme os Atos dos Apóstolos, os anjos perguntam: “Homens da Galileia, por que ficais aqui parados, olhando para o céu?” (At 1,11). Os discípulos de Jesus não podem “ficar parados”, olhando para o céu. Necessitam olhar para o céu, voltar o coração para Deus e a vida eterna, para poder olhar para o mundo presente e agir segundo o querer de Deus. A esperança da vida plena no céu deve nos motivar a viver bem a vida neste mundo. O olhar para o céu deve nos levar a caminhar, cumprindo a missão que Jesus deixou de anunciar o Evangelho, sendo suas testemunhas até os confins da terra (Atos 1,8). “Vós sereis testemunhas de tudo isso”, afirma Jesus aos seus discípulos (Lc 24,48). Testemunhas que anunciam o Evangelho com palavras e ações, animados pelo Espírito prometido por Jesus, conforme ouvimos nos Atos dos Apóstolos (At 1,8) e no Evangelho (Lc 24,49).
Além da esperança e do compromisso de evangelizar, devemos cultivar a atitude de oração. O texto de São Lucas, hoje proclamado, se conclui destacando a atitude de adoração e de louvor dos discípulos diante do Ressuscitado que sobe ao céu. A resposta do discípulo se faz de testemunho e de oração; do testemunho sustentado pela oração; do testemunho manifestado pela oração.
Hoje, nós recordamos com gratidão das mães, que são sinais e testemunhas do amor de Deus entre nós. Rezemos, especialmente, por elas, oferecendo-lhes os presentes mais preciosos que brotam do nosso coração de filhos: as orações, o amor, o respeito, a gratidão e a paz na família.    Estamos para iniciar a Semana preparatória de Pentecostes, solenidade a ser celebrada no próximo domingo, e a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que neste ano tem como tema: “O que o Senhor exige de nós?” (cf. Miquéias 6,6-8). Preparando Pentecostes, rezemos pela unidade dos cristãos para que se realize cada vez mais entre nós a súplica de Jesus ao Pai: “Que todos sejam um!” (Jo 17,21). Sejamos testemunhas do Senhor pela vivência da unidade!
Compartilhar

Por: Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário