PALAVRA DE PASTOR

X Domingo do Tempo Comum

Deus Visitou o Seu Povo

09/06/2013
+ Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília

Duas histórias semelhantes são apresentadas na Primeira Leitura (1Rs 17,17-24) e na proclamação do Evangelho (Lc 7,11-17). Ambas falam de viúvas, mães de filho único. A primeira vivia em Sarepta, nos tempos do profeta Elias, generosamente hospedado por ela, em época de seca. A outra era de Naim. Recordemos que a situação da mulher viúva, naquele tempo, era geralmente muito difícil e se perdesse o filho único, se tornava ainda pior. 
Em ambas, Deus manifesta a sua compaixão, doando novamente a vida ao filho da viúva. Entretanto, há uma diferença fundamental nas histórias narradas. Para que o filho da viúva de Sarepta recuperasse a vida, o profeta Elias necessitou suplicar a Deus pelo menino. O esforço pessoal de Elias e a sua oração são ressaltados pelo Primeiro Livro dos Reis. Na história narrada por São Lucas, a atitude de Jesus é bem diferente, pois Cristo é o Senhor vencedor da morte. Para dar novamente a vida ao filho da viúva de Naim, Jesus apenas o tocou com sua mão, dizendo: “Jovem, eu te ordeno, levanta-te! (Lc 7,14)”. A viúva de Sarepta louva a Deus reconhecendo que Elias era “um homem de Deus”, cuja palavra estava em sua boca.  Diante de Jesus, a exclamação do povo vai além do reconhecimento de que se tratava de um grande profeta, afirmando: “Deus veio visitar o seu povo” (Lc 7,16). De fato, Jesus Cristo é o próprio Deus que visita o seu povo, o Verbo que se faz carne e vem habitar entre nós. O relato de S. Lucas destaca que aquele que sentiu compaixão da viúva e a consolou era o “Senhor” (Lc 7,13). Já nos inícios desse Evangelho, encontramos afirmação semelhante na boca de Zacarias: “Bendito seja o Senhor Deus de Israel porque visitou e libertou o seu povo e fez surgir um poderoso Salvador” (Lc 1,68). Deus visitou a pobre viúva, demonstrando o seu amor compassivo e o seu poder sobre a morte. Ela representa tantas outras pessoas pobres e sofredoras que são visitadas por Deus nos diversos episódios narrados pelo Evangelho, fazendo a experiência da misericórdia divina em Jesus Cristo.
 
Deus continua a visitar o seu povo para manifestar o seu amor salvador. Contudo, para reconhecer a sua visita é preciso ter a atitude humilde e confiante da viúva e, especialmente, o olhar da fé. São Paulo afirma que o evangelho pregado por ele “não é conforme a critérios humanos” (Gl 1,11). Assim sendo, é preciso deixar-se conduzir pelos critérios de Deus, como a compaixão, a gratuidade e o amor pelos irmãos que vivem hoje a condição das viúvas mencionadas. Em resposta à Palavra de Deus, seria bom fazer a experiência de visitar os que mais sofrem, sendo mais solidários, a fim de melhor discernir o quanto já temos sido visitados pelo Senhor, em sua imensa misericórdia.

Compartilhar

Por: Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário