PALAVRA DE PASTOR

Solenidade de São Pedro e São Paulo

O Testemunho dos Apóstolos

30/06/2013

+ Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília

Celebramos a solenidade de São Pedro e São Paulo louvando a Deus por estes dois grandes apóstolos que muito tem marcado a história da Igreja, especialmente, pelo testemunho de fidelidade a Cristo através do martírio. Para ressaltar o martírio sofrido por ambos, utiliza-se a cor litúrgica vermelha nas missas desta solenidade.  
              A Liturgia da Palavra nos fala a respeito de S. Pedro e S. Paulo, motivando-nos a seguir os exemplos que eles nos deixaram. Com eles, aprendemos como ser verdadeiros discípulos de Cristo. O livro dos Atos dos Apóstolos e o Evangelho proclamado destacam a figura de S. Pedro. Ele sofre perseguições e a prisão por anunciar o Evangelho, sendo fiel a Jesus Cristo. Contudo, em meio a tanto sofrimento, não lhe faltaram a oração da Igreja e o auxílio do Senhor. “Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja rezava continuamente a Deus por ele” (At 12,5). A passagem se conclui com a afirmação de Pedro: “Agora sei, de fato, que o Senhor enviou o seu anjo para me libertar...” (At 12,11).
            O apóstolo S. Paulo também testemunha a sua fidelidade e confiança em Deus, assim como, o auxílio da graça divina, quando perseguido e preso por causa da pregação do Evangelho. Podemos fazer, hoje, a experiência do amor de Deus nos sustentando nos momentos mais difíceis, de tal modo que possamos dizer como S. Paulo: “o Senhor esteve a meu lado e meu forças” (2Tm 4,17). Ao mesmo tempo, diante dos desafios que temos a superar, somos convidados a por nossa confiança em Deus, rezando como ele: “o Senhor me libertará de todo mal e me salvará para o seu reino celeste” (2Tm 4,18).
            A Liturgia de hoje nos mostra que não falta a graça de Deus aos que são perseguidos por serem discípulos fiéis de Jesus Cristo e testemunhas do seu Evangelho. Conforme rezamos, hoje, no Salmo 33, “o anjo do Senhor vem acampar ao redor dos que o temem e os salva” e, por isso, “é feliz o homem que tem nele o seu refúgio”. Entretanto, tal atitude de confiança e fidelidade pressupõe a fé. Somos convidados a repetir, com os lábios e o coração, a profissão de fé de Pedro, em resposta à pergunta de Jesus sobre o que os apóstolos diziam dele: “Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo” (Mt 16,16). É feliz é quem professa esta mesma fé, pela graça de Deus!
            Rezemos, especialmente, pelo sucessor de Pedro, o Papa Francisco, para que nos confirme na fé professada pelo apóstolo S. Pedro. Como sinal de comunhão e de partilha, oferecemos, nas missas desta solenidade, o Óbolo de São Pedro, oferta a ser enviada ao Santo Padre para atender às necessidades da Igreja.
Compartilhar

Por: Paulo Roberto Melo

0 comentários:

Postar um comentário